Carta Mensal Set-18 | Canepa Macro | Surpresa com o otimismo do mercado e queda da volatilidade.

Carta Mensal Set-18 | Canepa Macro | Surpresa com o otimismo do mercado e queda da volatilidade.

No mês de setembro/18, o fundo Canepa Macro FIC FIM apresentou performance negativa de 0,95% nominais. No acumulado de 2018, o retorno do fundo alcança 5,96% nominais. Nos últimos 12 meses, a rentabilidade acumulada atinge 7,74% (116% do CDI). Desde o seu início (março/16), o desempenho do produto alcançou 59,31% nominais, representando 208% do CDI. 

No mês de setembro, acreditávamos em uma elevação da volatilidade no mercado associado a um viés negativo nos mercados por conta da subida de Fernando Haddad na preferência do eleitor e uma eventual liderança do petista no segundo turno das pesquisas. O cenário observado foi exatamente o inverso: um aumento de apetite a risco no mercado internacional (sobretudo em relação à emergentes), associado a um discurso mais brando do candidato Haddad fez com que os ativos brasileiros apresentassem surpreendente comportamento bem positivo no mês.

De forma geral, carregamos estruturas de opções no mercado interno com viés bearish. Perdemos duplamente, primeiro no direcional e segundo na queda de volatilidade dos mercados que fez com que as opções “emagrecessem” ao longo do mês (tanto em bolsa como em câmbio).

As atuações táticas com viés de piora dos ativos brasileiros também trouxeram resultados negativos no mês de setembro. O resultado positivo da posição escolhida para equilibrar o portfólio – estrutura de opções apostando em manutenção de juros até abril – não foi suficiente para compensar de forma relevante as perdas.

A calmaria momentânea no exterior se refletiu no mercado local. De forma geral, o alívio de alguns focos de tensão, com destaque para um ambiente mais calmo na Turquia e alguns dados mais fracos em relação à dinâmica inflacionária nos EUA ajudaram os ativos de risco em setembro. Ainda acreditamos ser esse um quadro momentâneo e passageiro, diante da redução gradual dos estímulos monetários das economias globais, com destaque para o baixo nível de ociosidade da economia norte-americana. No mercado externo, alcançamos resultado neutro, com algum ganho na posição comprada em juros americanos, mas que foi compensado por perdas nas moedas, com destaque negativo para a posição de venda do Rand Sul-africano versus o dólar. No entanto, continuamos a acreditar que os países mais vulneráveis tendem a apresentar performance desfavorável diante desse quadro de normalização monetária nos EUA. Ainda baseamos as operações no mercado externo levando em consideração essa premissa.

 

Carta Mensal Set-18 | Surpresa com o otimismo do mercado e queda da volatilidade.